• Publicidade

Diabetes na Gravidez: Tudo o que você precisa saber

Durante a gravidez é comum a imunidade da mulher ficar baixa, isso ocorre porque o organismo pode encarar o feto como uma ameaça, e tentar “expulsá-lo”. Por essa razão, algumas das futuras mamães podem desenvolver problemas durante esse período, como a diabetes na gravidez.

Mas não fique preocupada, ao contrário dos outros tipos de diabetes, essa condição costuma se normalizar sozinha após o nascimento do bebê.

De qualquer forma, confira tudo o que você precisa saber sobre diabetes na gravidez.

A insulina, hormônio produzido pelo pâncreas, controla a quantidade de açúcar no sangue que será usado como fonte de energia. A diabetes então surge quando o organismo da mulher não produz insulina em quantidade suficiente.

No período da gravidez, o corpo da mulher precisa produzir insulina extra para atender às necessidades do bebê. Quando o organismo não consegue fazer isso, pode surgir a diabetes gestacional.

Sintomas da diabetes na gravidez

Alguns sintomas tradicionais da doença podem se confundir com sensações familiares da gestação, como fadiga, aumento de apetite e vontade de urinar diversas vezes.

Se as taxas de açúcar no sangue não estiverem muito elevadas, a gestante não vai ter grandes sinais do problema.

Apenas nos casos mais extremos, a doença pode gerar sede, cansaço e mal-estar.

Diagnóstico da doença

A diabetes gestacional é detectada através de um exame de sangue que deve ser feito em torno da 24ª semana. A gestante é submetida a coleta de sangue, onde será feita a medição da glicemia de jejum.

Se o resultado for muito alterado, pode ser necessário o teste de tolerância à glicose. Neste exame, a mulher deve beber um líquido doce, e após uma hora fazer uma nova coleta para dosar a glicemia.

Os médicos recomendam que todas as futuras mamães façam pelo menos o primeiro exame, pois se constatada a diabetes na gestação, o acompanhamento precisará ser mais específico. Isto é, incluir avaliações detalhadas e periódicas.

Outro fator que pode indicar o excesso de açúcar no sangue  é o crescimento acelerado do bebê ou o aumento do líquido aminiótico. Estes, diagnosticados por meio do ultrassom.

O tratamento

Grande parte das mulheres que têm diabete gestacional conseguem controlar as taxas de açúcar sem precisar de remédios, apenas fazendo dietas e atividades físicas.
É importante lembrar que ambas devem ser feitas sob orientação médica.

Reduzir o consumo de alimentos ricos em açúcar e fazer exercícios leves, são as principais indicações para as gestantes.

Em casos mais severos, pode ser preciso fazer uso de insulina, mas o tratamento é totalmente seguro e não afeta a mãe ou o bebê.

Atividades físicas durante a gravidez

É muito importante colocar em sua rotina diária, os exercícios físicos. Converse com seu médico sobre como inclui-los em seu dia-a-dia.

Procure por guias de atividades físicas na gravidez, e tente encontrar alguma que lhe agrade. Elas ajudam a manter controlados os níveis de açúcar no sangue.

Durante a gestação o bebê corre algum risco?

Na maioria dos casos, a diabete gestacional pode ser controlada e evolui bem. O que pode ocorrer, é que a alta dose de glicose pode sobrecarregar o pâncreas do bebê, que começa a produzir mais insulina.

Por ser um hormônio anabólico, ele promove o crescimento de alguns órgãos e tecidos. Podendo interferir diretamente no desenvolvimento do feto, tornando-o um bebê com um tamanho acima da média. Por essa razão, é de extrema importância o acompanhamento médico ao longo de toda a gravidez.

Cuidados na hora do parto

A diabetes não influencia na escolha entre parto normal e cesariana. Essa é uma decisão que depende de fatores que não estão relacionados com as condições da doença.

O que pode influenciar no parto é o tamanho do bebê. Como falamos anteriormente, a alta produção de insulina pode fazer com que o feto tenha um desenvolvimento acima da média. Logo, se o bebê for grande demais dificultará o parto normal, fazendo com que seja necessário recorrer a cesariana.

De qualquer maneira, a equipe médica deve sempre ser avisada sobre a condição da mãe com diabetes gestacional, mas em geral os procedimentos do parto são iguais aos das outras mães.

 Após o parto, o problema continua?

Não. Os níveis de açúcar tendem a normalizar em poucos dias após o nascimento do bebê.

Cuidados com o bebê após o parto

O bebê de uma mãe que teve diabetes na gravidez recebeu altas doses de açúcar. Para tentar equilibrar isso, seu pâncreas produziu muita insulina durante a gestação. Após o parto ele pára de ser alimentado com toda aquela glicose, podendo ocasionar um quadro de hipoglicemia. Nestes casos, o bebê deverá ser medicado para fazer o açúcar no seu sangue entrar em equilíbrio. É necessário fazer esse acompanhamento durante os primeiros meses de vida.

Mamãe e bebê saudáveis

A diabetes gestacional é bem comum e não costuma trazer grandes problemas para a saúde da mãe e do bebê. Com orientação médica correta, dietas com pouco açúcar e exercícios físicos moderados é possível controla-la durante toda a gravidez.

Você já teve ou conhece alguém que passou pelo problema de diabetes na gravidez? Deixe seu comentário e conte-nos como foi.
Gostou do texto? Compartilhe esse texto e curta nossa página no Facebook.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe seu comentário

  • Publicidade