• Publicidade

O que é preciso para evitar e combater a obesidade infantil?

A obesidade infantil é caracterizada por ser uma condição onde há o excesso de gordura corpórea acumulada em crianças. Esse mal está se tornando um dos grandes problemas de saúde entre as crianças brasileiras. Segundo informações do IBGE, pelo menos uma em cada três crianças está pesando acima do normal para sua idade. A obesidade infantil é considerada pela OMS – Organização Mundial da Saúde – um sério problema de saúde pública às quais todas as nações e cidadãos devem prestar muita atenção e buscar o combate efetivo.

Esse peso extra pode trazer graves complicações de saúde no futuro, mesmo que a obesidade infantil seja revertida. Infelizmente essa condição pode provocar diversos efeitos colaterais que se estenderão pela vida adulta da criança, podendo inclusive levá-la a futuros ataques cardíacos e doenças dos mais variados tipos. As principais consequências, na vida adulta, serão hipertensão, colesterol alto e diabetes, entre outras, além das consequências psicológicas agregadas à criança obesa, como depressão e baixa autoestima.

Causas para a obesidade infantil

A infância, sem dúvidas é uma fase pré-determinante na vida humana. Isso se deve ao fato de que nessa época é que são construídos os hábitos e muitos deles se estenderão por toda a vida. As crianças normalmente são expostas a ambientes hostis no que se refere aos hábitos alimentares, sendo seduzidas pelos alimentos ricos em calorias, carboidratos e gorduras nocivos à saúde e favorecedores do acúmulo de gordura, o que posteriormente gera a obesidade infantil.

Os maus hábitos alimentares, com excesso de salgados, refrigerantes e lanches fast-foods, em vez de ingredientes que tragam os nutrientes necessários para a manutenção do peso e da saúde infantil acaba sendo uma das principais causas para a obesidade da criança. A obesidade infantil também pode ser provocada por sedentarismo e por fatores genéticos, ou mesmo pela combinação de alguns fatores. Outras causas podem provocar a obesidade infantil, embora mais raras, como alguma condição médica, um problema hormonal ou o uso de medicamentos à base de corticoides.

Então, para evitar e combater a obesidade infantil é preciso…

Investir na reeducação alimentar de toda a família!

Os pais são sempre os exemplos mais próximos de seus filhos e não há como negar isso. A melhor forma de prevenir a obesidade infantil é dando exemplo às crianças, afastando do ambiente familiar a presença dos alimentos prejudiciais à saúde. Dietas equilibradas serão sempre bem-vindas. É claro que a criança poderá comer aquele chocolate ou outro doce, mas, sempre com moderação.

Lembre-se que o bom senso e a moderação são sempre os melhores amigos da saúde.

Incentivar a prática de atividades físicas

A atividade física deve ser encarada como o que de fato ela é: uma necessidade. Isso porque ela proporciona o desenvolvimento psicomotor das crianças e faz com que elas mesmas possam desfrutar de um desenvolvimento muscular e cardiovascular saudável.

Diagnóstico da obesidade infantil

Para que os pais saibam se seu filho está com obesidade infantil é preciso conhecer o seu IMC – Índice de Massa Corporal. Nos adultos, as medidas são bem específicas, estando os índices entre 18,5 e 25 como normais. Acima disso, a pessoa é considerada com sobrepeso, enquanto que, acima de 30, trata-se de caso de obesidade.
Para crianças, no entanto, as mesmas faixas não se aplicam, mudando de acordo com a idade. A Organização Mundial da Saúde criou tabelas para fazer o cálculo, no entanto o IMC não considera fatores como a quantidade de massa muscular e a estrutura física da criança. Assim, a melhor coisa a fazer é procurar ajuda médica para fazer uma avaliação completa e determinar se o peso da criança está dentro dos padrões.

Como cuidar da obesidade infantil

Para tratar da obesidade infantil é necessário uma série de medidas e isso vai depender de cada caso. Não existe um tratamento com medicamentos que não envolva a mudança no estilo de vida e nos hábitos da criança.

É preciso que os pais entendam que, quanto maior o excesso de peso, maior a gravidade do problema. As crianças podem apresentar diversos fatores diferentes para ter obesidade e, desta forma, apenas o médico poderá indicar o melhor tratamento.

Para crianças e adolescentes com obesidade leve, que não tenham risco de desenvolver qualquer tipo de doença, o médico poderá indicar apenas moderação na alimentação e manutenção dos cuidados para não aumentar o peso. Em alguns casos, o simples crescimento poderá fazer com que entre numa faixa normal, sem precisar emagrecer.

Para crianças que tenham obesidade infantil acentuada, com o risco de desenvolver doenças, o médico irá recomendar a redução do peso, com um emagrecimento lento e gradual, com os mesmos métodos adotados pelos adultos, ou seja, uma dieta saudável e equilibrada e a prática de exercícios. O compromisso, nesse caso, é mais responsabilidade dos pais, que devem acompanhar a evolução do filho.

Medicamentos para combater a obesidade infantil

Casos mais graves de obesidade infantil, que estejam associados a outras condições de saúde, devem seguir tratamentos específicos. Na maior parte dos casos, os médicos não recomendam tratamento com medicamentos para crianças e adolescentes, a não ser que a criança obesa seja portadora de alguma doença que exija esse tipo de tratamento, como distúrbios da tireoide ou a presença de altos índices de colesterol.

Alguns casos de obesidade, principalmente em adolescentes, podem solicitar um tratamento mais radical, como a cirurgia bariátrica, que pode ser eficaz nos casos de adolescentes com obesidade mórbida, que não conseguem reduzir o peso através de tratamentos convencionais.

É preciso observar, contudo, que qualquer tipo de cirurgia pode apresentar complicações e ainda existem os efeitos de longo prazo de uma cirurgia para perda de peso durante a fase de crescimento e desenvolvimento, não se podendo prever as consequências de um procedimento mais radical.

Assim, para uma criança ou adolescente com obesidade é necessário o acompanhamento de especialistas, como endocrinologista, pediatra, nutricionista e psicólogo, que poderão traçar melhor o diagnóstico e buscar soluções que efetivamente possam reduzir o peso da criança em questão.

Os cuidados devem ser tomados desde a infância, quando há obesidade infantil, evitando problemas mais sérios de saúde no futuro.

Lembre-se que os hábitos são formados durante a infância. Isso significa a grande oportunidade de orientar e direcionar as crianças desde cedo para a prática de exercícios físicos. Assim elas poderão desfrutar dos benefícios ao longo de toda a vida. É preciso pensar no longo prazo quando falamos sobre saúde. Os prazeres imediatos que os hábitos ruins trazem são mínimos se comparados ao bem-estar que uma vida equilibrada pode proporcionar.

Sobre Galdino

Paixão por saúde e qualidade de vida. Desde 2013 buscando informações sobre a melhor maneira de se viver com mais saúde e melhor qualidade de vida. Mantenho alguns blogs com o objetivo principal de passar adiante as informações e o conhecimento que tenho adquirido ao longo desse tempo. Durante esses anos tenho "corrido" atrás de conteúdos relevantes que, de alguma forma possa me ajudar e ajudar outras pessoas a viver com mais qualidade de vida. Ps. Tenho 47 anos, sou goiano, evangélico, solteiro e tenho um filho de 13 anos, motivo do meu orgulho e alegria. Sou apaixonado séries e filmes de ação. Adoraria aprender tudo sobre fotografia.
Adicionar a favoritos link permanente.

2 Comments

  1. Pingback:Qualidade de vida das crianças | Como Viver Melhor

  2. Pingback:perder peso de forma saudável após a gravidez - Dicas de Emagrecimento

Deixe seu comentário

  • Publicidade